propaganda

data

Seja bem-vindo. Hoje é

Ache sua frase aqui

CONSELHOS DE AMOR



Preserve o Amor dentro de você

Não deixe que a raiva e a tristeza escondam de você mesmo o amor que você viveu um dia. Lembre-se dos bons momentos e cultive a gratidão por eles. Gratidão e amor fazem bem a gente. Não permita que a separação e a perda o impeçam de preservar o amor que um dia sentiu. Vale mais a pena recordar as agradáveis situações vividas do que ficar sempre se amargurando com os momentos de sofrimento.


Outra forma de preservar o sentimento de amor dentro de nós e estimulá-lo consiste em praticar a caridade. Quando nos falta a fé e a esperança está tão distante, nos resta ainda a maior das virtudes – a caridade. Sempre podemos encontrar alguém a quem podemos ajudar. Disse o santo D. Helder, o arcebispo do bem: “Ninguém é tão pobre que não possa dar e ninguém é tão rico que não possa receber”.Faça a 'eutanásia' de sua paixão"Uma paixão que se tornou inviável precisa ser eliminada para trazer paz ao coração de quem a vive" 


Ajude a matar o sentimento que ainda existe em você e fique apenas com a lembrança, a gratidão (a Deus) pelos momentos felizes e a esperança de novos momentos com uma nova pessoa.


O principal elemento da situação dolorosa é o fato de que a pessoa abandonada continuava, até a separação, amando o outro. Esse amor cria um desequilíbrio afetivo por não ser mais correspondido. Para restaurar o equilíbrio, é necessário que o abandonado se disponha a aceitar a morte desse sentimento e se esforce para dissolver a paixão que ainda sente. Geralmente a raiva provocada pela situação ajuda, mas é importante que a tarefa de encerrar a paixão seja praticada de forma organizada para que o resultado seja satisfatório. Essa é a eutanásia da paixão. 

Uma paixão que se tornou inviável precisa ser eliminada para trazer paz ao coração de quem a vive. Não se trata de uma paixão qualquer, mas de um sentimento que foi cultivado e estimulado, por vezes durante muitos anos – talvez a emoção mais importante que a pessoa tenha vivido em sua existência. E é um sentimento que só tem razão de existir se for correspondido. Exterminar um sentimento positivo é muito penoso, significa retirar aos poucos, dia após dia, o valor que foi dado à pessoa que se admirou e de quem se aceitou os defeitos. Só então você terá condições de confiar em sua capacidade de superar a dor da separação e estará livre para amar novamente. Aí haverá espaço para a ressurreição do amor.Emoções do amor e da paixão

Para alguns, essa ideia pode parecer incompatível com a formulação imediatamente anterior. A diferença está no fato de ser o amor uma emoção serena que alimenta nossas almas e deve ser sempre estimulada enquanto a paixão é uma emoção perturbadora que necessita de uma administração cuidadosa. Quando a paixão é rejeitada gera sofrimento, dor e sentimentos negativos e precisa ser banida o mais rapidamente possível de nossa vida. Até mesmo para poder dar espaço para o nascimento de uma nova paixão.

Como a paixão costuma estar alicerçada no amor, é fácil de ser confundida com ele. Mas a grande diferença reside no fato de que enquanto a paixão é cega e se acompanha pela necessidade imperiosa de atender nossos próprios desejos, o amor é sábio e se guia pelas necessidades do outro. O amor se caracteriza pela generosidade, a paixão pelo egoísmo. A paixão desprovida de amor cria perigos e possibilita tragédias. Porém, quando juntos e em harmonia, amor e paixão nos levam a grandes feitos e grandes conquistas.Enterrar os mortos, fechar os portos e cuidar dos vivos

Em 1755, no dia de Todos dos Santos (primeiro de novembro), ocorreu, em Portugal, um violento terremoto, que destruiu grande parte de Lisboa. Na ocasião, o Primeiro Ministro, Marquês de Pombal, enfrentou a catástrofe com o lema: "Sepultar os mortos, cuidar dos vivos e fechar os portos". Essa formulação simples e direta pode nos ajudar muito. Diversas vezes ocorrem em nossa vida eventos arrasadores. A calamidade é tão grande que por vezes perdemos o discernimento. É a hora de adaptar para a nossa vida a frase do Marquês: "Sepultar os mortos, cuidar dos vivos e fechar os portos".

Sepultar os mortos significa que não adianta ficar deplorando a tragédia ou se recriminando por ela. É preciso enterrar o passado, parar de pensar sobre o que deveria ter sido e encarar o que está sendo. Cuidar dos vivos representa a importância de tomar conta do presente. Ter cautela com o que sobrou, o que realmente existe. Fazer todo o possível para salvar o que restou do terremoto, valorizando e usufruindo o que há de bom em sua vida. 

Fechar os portos fala sobre dificultar a possibilidade de que novos problemas apareçam enquanto você estiver “cuidando dos vivos e enterrando os mortos” – sarando as feridas na alma. Significa manter o foco na reconstrução, na cura. É dessa forma que a história nos ensina. Por isso, quando enfrentar um terremoto em sua vida, lembre-se das palavras do Marquês e procure enterrar os mortos, fechar os portos e cuidar dos vivos.

Frases que emocionam